SES: “Testagem para Covid teve falha e gerou grande desconforto”

SES: “Testagem para Covid teve falha e gerou grande desconforto”

  • 25/05/2020 10:25
  • Redação/Assessoria

O secretário de Estado de Saúde Gilberto Figueiredo afirmou que a falta de comunicação por parte do Ibope foi responsável por causar problemas na pesquisa que vem sendo desenvolvida em todo País com objetivo de coletar amostras de sangue na população para testagem da Covid-19.

 

Em Mato Grosso, por exemplo, há casos de pesquisadores que acabaram sendo presos em pelo menos três cidades: Cuiabá, Rondonópolis e Barra do Garças.

 

“Não fomos comunicados oficialmente. Esse erro de comunicação trouxe reverberação no País todo. Por conseguinte, uma falha enorme no encaminhamento desse trabalho e que gerou esse desconforto muito grande. Inclusive, com pessoas sendo presas”, disse ao ser questionado sobre o assunto.

 

Durante uma live transmitida nas redes sociais, na manhã desta sexta-feira (22), o secretário também afirmou que a grande maioria dos pesquisadores que estava fazendo o trabalho não tinha qualificação necessária.

 

Há casos, por exemplo, em que a coletagem de amostras foi feita sem que os pesquisadores fizessem o uso de equipamentos de proteção individual (EPIs) adequados e muitos sequer tinham identificação do Ibope.

 

“Hoje, já é conhecido no País que a pesquisa é uma iniciativa da Universidade de Pelotas, em parceria com o próprio Ministério da Saúde. Mas o grande problema existente foi a falta de comunicação prévia e que gerou esses distúrbios divulgados Brasil a fora”, reforçou.

 

Gilberto Figueiredo também disse estar curioso para saber os números da pesquisa, mas observou que ela pode ser de baixa resolutividade.

 

De acordo com ele, a coleta mostra apenas uma porcentagem da população que eventualmente pode estar infectada pelo novo coronavírus no dia da realização da pesquisa. Passados dois dias, por exemplo, os números podem ser completamente diferentes.

 

“Isso está sendo feito em outros Estados, tem pequena resolução. Podemos assegurar neste momento não temos 3% da população infectada em Mato Grosso. Mas quero crer que exista propósito com isso”, afirmou.

 

“Estou curioso para saber o resultado desses dados e saber se terá resolutividade útil para implantação de medidas preventivas. Se tivéssemos sido comunicados poderíamos ter ajudado mais, já que é um trabalho científico e pode ter um resultado”, completou.

 

Prisões


Uma das prisões ocorreu no bairro CPA I, em Cuiabá, na última quinta-feira (21). Conforme o boletim de ocorrência, uma moradora denunciou o casal à Polícia Militar depois que foi abordada em sua residência para realizar o teste de coronavírus.

 

A mulher relatou que o casal tirou foto dela em um tablet e informou que precisaria realizar uma coleta de sangue, momento que ela suspeitou da atitude e acionou a PM.

 

Os policiais foram até o endereço e encontraram os pesquisadores. Ao ser questionado, o casal afirmou que era da Universidade Federal de Pelotas (RS) e que estava realizando a pesquisa para o Ibope, que é financiada pelo Ministério da Saúde.

 

Diante dos fatos, os militares encaminharam o casal para a Central de Flagrantes, onde foi resgistrado o boletim de ocorrência.

 

  • Fonte: MÍDIA NEWS