Transporte individual de passageiros retrai 90% em Mato Grosso

Transporte individual de passageiros retrai 90% em Mato Grosso

  • 27/03/2020 20:20
  • Redação/Assessoria

Transporte individual de passageiros em Mato Grosso cai 90% com pandemia do coronavírus. Diminuição na circulação de pessoas para evitar a disseminação da Covid-19 afetou motoristas de aplicativos e taxistas que estão, em sua maioria, com os veículos parados. Muitos cogitam abandonar a atividade, segundo o Sindicato dos Motoristas de Aplicativo (Sindmapp) e o Sindicato dos Taxistas de Cuiabá (Sintac).


Uma ligeira melhora na movimentação foi observada nesta quinta-feira (26) após publicação do decreto governamental que amplia o funcionamento de estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços, segundo relata o vice-presidente do Sintac, Adailton Lutz.


“Nossa atividade não foi proibida, mas quase ninguém quer sair de casa. Na quinta à tarde, os clientes começaram a aparecer um pouquinho”, explica Lutz.


De acordo com ele, os taxistas são duplamente afetados, por causa da concorrência dos motoristas de aplicativos. “Não está fácil, o momento é crítico, mas com tudo parado fica pior”, opina.


O vice-presidente do Sintac acredita que os cidadãos que saírem às ruas irão se resguardar e tomar as devidas precauções contra a Covid-19.


Nem as promoções aos clientes evitaram que a demanda despencasse 90%, afirma a presidente do Sindmapp, Solange Menacho. “Aos poucos, os motoristas foram decidindo ficar em casa, porque gradativamente os passageiros diminuíram, explica. Sendo assim, não compensava ficar nas ruas”, conclui.


“Temos nossas famílias, os poucos que estão rodando andam com vidros abertos, com máscaras e transportando passageiros no banco traseiro”, detalha.


Menacho acrescenta, ainda, que as empresas que administram as plataformas de transporte privado de passageiros não estão preocupadas com os prestadores de serviços. “Não temos amparo. Estamos desesperados. Não temos corridas e continuamos com as manutenções dos veículos e despesas pessoais”, desabafa.

 

  • Fonte: Gazeta Digital/ Silvana Bazani