Secretário de Saúde diz que medidas podem ser revistas quando MT tiver 50 casos da Covid-19

Secretário de Saúde diz que medidas podem ser revistas quando MT tiver 50 casos da Covid-19

  • 27/03/2020 19:55
  • Redação/Assessoria

O secretário de Saúde de Mato Grosso, Gilberto Figueiredo, afirmou, em entrevista coletiva nas redes sociais, na tarde dessa quinta-feira (26), que as medidas contra o novo coronavírus podem ser revistas quando o estado atingir 50 casos da covid-19.

Até essa quinta-feira, conforme os dados divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), Mato Grosso registrava 11 casos da doença. Desses, oito são em Cuiabá, dois em Várzea Grande e um em Nova Monte Verde.

Dois pacientes com Covid-19 estão internados. Outros 385 casos suspeitos estão sendo investigados em 21 municípios.

O governador Mauro Mendes (DEM), ainda na quinta-feira, assinou um novo decreto que permite o funcionamento do comércio, desde que os estabelecimentos sigam as normas de segurança, prevenção e combate ao coronavírus. Outra liberação é a circulação do transporte coletivo municipal e metropolitano, sem exceder a capacidade de passageiros sentados.

Mendes também recomendou que as pessoas fora do grupo de risco saiam do isolamento social para praticar atividades ao ar livre, mantendo distância de 1,5 metro das pessoas.

No entanto, algumas prefeituras, como a de Cuiabá, Várzea Grande e Rondonópolis, reprovaram as medidas e mantiveram os decretos municipais, dessa forma, mantendo o comércio fechado e recomendando o isolamento social para evitar novas contaminações.

“Vamos analisar passo a passo. Não dá nesse momento para admitir e fazer uma projeção dessa magnitude. Vamos ter condição de desenhar um cenário um pouco mais próximo da realidade, a partir do momento em que tivermos o caso número 50 no estado. Aí sim as estatísticas serão mais precisas nesse campo”, afirmou o secretário de Saúde do estado.

Gilberto disse ainda que nenhum paciente infectado precisou de atendimento específico ou demandou da assistência hospitalar do estado.

“É muito prematuro tomar decisões dessa natureza se nós temos apenas 11 casos confirmados e nenhum grave”, disse.

Em nota, o governo reforçou que as medidas do decreto estão de acordo com as normas da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde.

O governo afirmou ainda que não houve nenhum relaxamento das medidas restritivas de isolamento. Também disse que não procede a informação de que houve liberação do comércio, já que, em nenhum momento, o governo havia restringido as atividades econômicas.

  • Fonte: G1 MT e TV Centro América