Com 2 mil pessoas na fila de espera, prefeitura de Sinop-MT vai comprar 600 cirurgias

Com 2 mil pessoas na fila de espera, prefeitura de Sinop-MT vai comprar 600 cirurgias

  • 03/04/2019 09:30
  • Redação/Assessoria

Sinop tem uma fila de espera com aproximadamente 2 mil pessoas aguardando por um cirurgia eletiva – casos crônicos, que não são enquadrados como urgências. Para tentar reduzir essa demanda com casos de pacientes que aguardam há 6 anos, a prefeitura de Sinop vai comprar, junto a iniciativa privada, 600 cirurgias.

 

O anúncio foi feito na manhã desta terça-feira (2), pela prefeita de Sinop, Rosana Martinelli e o secretário de saúde do município, Gerson Danzer. Conforme Rosana, o município utilizará R$ 1,5 milhão oriundos de emendas impositivas da Câmara de vereadores para subsidiar a compra. No ano passado, os 15 vereadores direcionaram parte de suas emendas impositivas, acrescentando no orçamento de 2019 a realização de cirurgias eletivas. A soma corresponde a R$ 1,4 milhão e o valor foi complementado pelo executivo.

 

Segundo o secretário de Saúde, os procedimentos serão adquiridos via Consórcio Intermunicipal de Saúde – que reúne os municípios do Vale Teles Pires. O Consórcio trabalha com uma tabela de preços de serviços de saúde que são adquiridos da iniciativa privada e ofertados para pacientes do SUS. Em Sinop, onde as cirurgias serão realizadas, apenas o Hospital Dois Pinheiros e Jacarandás estão credenciados. Apenas o Hospital Dois Pinheiros teria declarado interesse em realizar os procedimentos pelo preço do Consórcio.

 

Embora esteja sendo chamado de “Mutirão das Cirurgias Eletivas”, os atendimentos serão realizados ao longo de 2019, de acordo com a estrutura do hospital contratado. Serão 600 procedimentos sendo 200 cirurgias gerais, 200 ginecológicas e 200 na especialidade de otorrinolaringologia. O custo médio dos procedimentos será de R$ 2,5 mil cada.

 

Danzer lembrou que esse tipo de cirurgia é de competência do Estado, a quem cabe a saúde de média e alta complexidade. No entanto, como o volume de procedimentos tem sido baixo nos últimos anos, há um acumulo de pacientes que dependem dessas cirurgias para voltar a ter uma vida menos limitada. “Nossa fila de espera conta com 2 mil pacientes regulados. Alguns estão nessa lista há 6 anos. Então, o que vamos fazer é entrar em contato com essas pessoas e fazer uma avaliação clínica. Algumas, provavelmente, já tenham feito essas cirurgias por outra forma [plano de saúde ou privado]. Os pacientes serão encaminhados de acordo com a classificação médica. É o quadro de saúde que determina a prioridade”, pontuou o secretário.

 

Conforme Danzer, a classificação de prioridade vai do 1 ao 3. Os pacientes com classificação de prioridade “1” serão todos encaminhados para realizar as cirurgias. Os demais, de acordo com a disponibilidade. O secretário garantiu que não será “furada” a ordem de classificação clínica. “As cirurgias serão realizadas de forma planejada [agenda] ao longo do ano”, afirmou.

 

Para lidar com as dúvidas, agendamentos e resultados dos exames pré-cirúrgicos, a secretaria disponibilizou dois telefones de contato: (66) 3520-7210 e (66) 99237-7004. Esses telefones já estão em operação.

 

  • Fonte: Jamerson Miléski