Contêineres usados como salas de aula em Sinop-MT são interditados após vistoria dos bombeiros

Contêineres usados como salas de aula em Sinop-MT são interditados após vistoria dos bombeiros

  • 01/04/2019 14:10
  • Redação/Assessoria

Três contêineres utilizados na Escola Estadual Paulo Freire, em Sinop, a 503 km de Cuiabá, foram interditados após vistoria dos bombeiros. O trabalho dos militares foi realizado depois que o pai de um aluno denunciou a situação.

 

Em nota, a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) afirmou que a empresa responsável pelos contêineres foi notificada para fazer a retirada das estruturas do local.

 

Das três estruturas, uma era utilizada como sala de aula de duas como salas modulares.

 

Os espaços dos contêineres são de metal com um revestimento de PVC nas paredes e compensado de madeira no piso. Já as salas modulares, além do metal, possui um isolamento térmico nas paredes e o piso não é de madeira.

 

“Nossa legislação prevê que todas as edificações com acima de 750 metros tem que ter um projeto de prevenção e combate a incêndios, o que não acontece aqui na escola”, afirmou o coronel Giovani Eggers.

 

A escola foi notificada sobre as irregularidades e recebeu um prazo para se adequar.

 

“De imediato levamos os alunos para outra sala. O problema é que com a urgência, perdemos espaço. O que fazemos é um apelo para o governo construir salas de aula. Precisamos que olhem para as escolas do interior”, declarou a diretora da unidade, Denize Lenz.

 

  • Fonte: Laércio Romão, TV Centro América