Após negociação, Santa Casa aguarda repasse de R$ 2,5 milhões para retomar atendimento em UTI em MT

Após negociação, Santa Casa aguarda repasse de R$ 2,5 milhões para retomar atendimento em UTI em MT

  • 16/07/2018 10:24
  • Redação/Assessoria

A Santa Casa de Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, aguarda o repasse de R$ 2,5 milhões por parte da prefeitura municipal a fim de retomar o atendimento na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica da unidade.

 

O setor parou de receber novos pacientes desde o dia 5 deste mês, quando a equipe de intensivistas pediu demissão por falta de pagamento dos honorários médicos e, até a regularização das pendências financeiras, novas internações permanecem suspensas no hospital.

 

De acordo com a assessoria da Santa Casa, a equipe de médicos que atende na UTI pediátrica do hospital foi contratada via empresa terceirizada e estão com os honorários atrasados desde março deste ano. O hospital explica, porém, que a folha salarial dos funcionários diretos da undiade está em dia.

 

Em reunião realizada na semana passada em Cuiabá com representantes do governo do estado e da Prefeitura de Rondonópolis, a direção do hospital aceitou aguardar o repasse prometido pelo município para esta semana, sob ameaça de fechar completamente a UTI pediátrica e manter apenas os atendimentos de urgência e emergência no hospital.

 

O repasse de R$ 2,5 milhões quita parte dos pagamentos atrasados pelos serviços prestados na UTI. Além disso, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT), todas as pendências de 2017 foram pagas e a dívida de janeiro deste ano, no total de R$ 1,3 milhão, foi regularizada.

 

Com relação aos outros meses, a SES afirmou que já publicou portarias autorizando os repasses e que, a partir desta semana, já devem ser programados os pagamentos dos meses de fevereiro a junho deste ano.

 

A diretoria da Santa Casa alegou que a recompor a equipe médica da UTI pediátrica à medida que os pagamentos atrasados forem feitos, mas ressaltou que irá fechar o setor completamente na quinta-feira (19) em caso de descumprimento do acordo.

 

De acordo com o representante da Santa Casa, Sinézio Alvarenga, o hospital possui um déficit com relação aos repasses do Sistema Único de Saúde (SUS) no valor de R$ 12 milhões desde 2015. O valor dos honorários médicos devidos à equipe que atendia na UTI pediátrica, porém, não foi informado.

 

Pacientes na UTI

Quando as internações foram suspensas, seis crianças encontravam-se internadas na UTI pediátrica da Santa Casa, mas os quadros de saúde de cinco pacientes evoluíram e, atualmente, apenas um bebê de três meses segue mantido no setor e a família teme que ele seja transferido - o que irá ocorrer caso o setor seja fechado.

 

No início da semana passada, uma criança de dois anos que mora em Campo Verde, a 139 km da capital, precisou de internação na UTI infantil, mas não conseguiu, sendo encaminhada para um hospital de Cáceres. A bebê permanece internada e passa bem.

 

  • Fonte: TV Centro América e G1 MT