Ao menos 11 universidades públicas suspendem atividades

Ao menos 11 universidades públicas suspendem atividades

  • 28/05/2018 10:45
  • Redação/Assessoria

Em oito instituições, aulas foram canceladas e em duas, a reitoria recomendou que professores não aplicassem avaliação por causa a greve

Ao menos 11 universidades públicas suspenderam parcial ou totalmente as atividades acadêmicas e administrativas nesta sexta-feira (25) em função dos reflexos da greve dos caminhoneiros. Em oito instituições, as aulas foram canceladas e em outras duas, a reitoria recomendou que os professores não aplicassem atividades de avaliação.

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) informou na tarde desta sexta que, "enquanto perdurar o movimento, não há garantia de atendimento às demandas da universidade" e, por isso, todas as atividades acadêmicas, incluindo graduação, pós-graduação e extensão, estão suspensas até segunda-feira (28) nos campus de Campinas, Piracicaba e Limeira.

Cade vai investigar infrações durante greve dos caminhoneiros

"Durante este período deverão ser mantidas, dentro das possibilidades, as atividades da Administração Central e as atividades assistenciais da área da saúde", diz a instituição em nota.

Também foram suspensas as aulas nas universidades federais de Pernambuco (UFPE), Rural de Pernambuco (UFRPE), Lavras (UFLA), do Triângulo Mineiro (UFTM), São João Del-Rei (UFSJ), Sergipe (UFS) e Grande Dourados (UFGD). As instituições decidiram pela suspensão por causa da dificuldades dos alunos e professores de chegarem até os campus.

Após anúncio de Temer, Exército escolta caminhão-tanque no RJ

A Unifesp também suspendeu as aulas nos campus da Baixada Santista, Guarulhos, Osasco e São José dos Campos.

Na UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), os restaurantes universitários não servirão jantar nesta sexta por causa da dificuldade de transporte das refeições. "A empresa responsável encontra problemas no deslocamento devido a bloqueios de caminho", diz a nota da instituição.

Cunhada de Temer ironiza a falta de combustíveis

Na UnB (Universidade de Brasília) houve a solicitação aos coordenadores de curso e professores para que, nesta sexta, fosse flexibilizada a verificação de frequência e que se evite a realização de atividades de avaliação dos estudantes.

  • Fonte: R7