Menina é encontrada com hematomas e suspeita de trauma craniano; pais presos

Menina é encontrada com hematomas e suspeita de trauma craniano; pais presos

  • 23/07/2020 09:11
  • Redação/Assessoria

Médicos do Samu encontram hematomas em uma menina de 2 anos e acionaram a Polícia Militar e o Conselho Tutelar. O caso de maus tratos, como foi registrado no boletim de ocorrência, aconteceu no bairro Parque Universitário, em Rondonópolis (a 218 km de Cuiabá). A criança está com suspeita de traumatismo craniano e a costela quebrada. A mãe, identificada pelas iniciais, J.P.S., 25, e o padrasto, A.D.S.P, 23, foram presos em flagrante.

 

De acordo com as informações do BO, por volta das 22h, a mãe acionou o Samu relatando que a criança teria engasgado.

 

Quando os médicos chegaram ao, a suspeita tentou dispensar a equipe afirmando que a menina já estava bem. No entanto, a equipe insistiu, e notaram alguns hematomas no corpo da criança e, diante da suspeita, a levaram para o Hospital Regional.

 

No local, foi constatado que a criança estava com sinais de espancamento. Tinha mordidas pelo corpo, costela quebrada, suspeita de traumatismo craniano e vários outros machucados.

 

Diante da situação, os médicos acionaram a Polícia Militar e o Conselho Tutelar.

 

A conselheira Josiane Ourives Gentil, que acompanhou a ocorrência relatou que em anos de profissão nunca tinha visto uma criança tão machucada. “Quando vi, até fiquei meio que sem saber o que fazer. É muita maldade para uma criança. Nunca tinha visto uma criança tão machucada. Nem um adulto merecia aquilo”, lamentou.

 

A conselheira conversou com a mãe e o padrasto da menina, mas ambos negam o crime. "Conversei com os dois, mas eles falaram que não fizeram nada e que e jamais maltratariam uma criança. Mas, não tem nem como dizer que aquela criança não foi maltratada”, apontou a conselheira.

 

Devido à gravidade dos ferimentos, a criança precisou ser transferida para a Santa Casa, onde segue internada. A informação é que a menina deverá passar por uma cirurgia. O atual estado de saúde dela não foi divulgado. A mãe e o padrasto foram encaminhados para a 1° Delegacia da Polícia Civil.

 

  • Fonte: RD NEWS